NPPN - UFRJ NPPN - UFRJ - Transparência Brasil NPPN - UFRJ - Portal Brasil NPPN - UFRJ
  • NPPN UFRJ
  • NPPN UFRJ
  • NPPN UFRJ

Infra-Estrutura - Central Analítica
A Central Analítica do IPPN
Criada em 1973, a Central Analítica do Instituto de Pesquisas de Produtos Naturais da UFRJ (CA/IPPN) é um laboratório pertencente à infra-estrutura de apoio do Programa de Pós-Graduação em Química de Produtos Naturais (Mestrado e Doutorado) do IPPN.

Quando o então Centro de Pesquisas de Produtos Naturais da UFRJ recebeu auxílio do FNDCT, atrevés da(FINEP, destinado à implantação de um laboratório central de instrumentação analítica, não se encontravam disponíveis no Brasil as técnicas introduzidas a partir de 1973 pela equipe da central Analítica do IPPN tais como esrectrometria de massas de alta resolução e espectroscopia de ressonância magnética nuclear du carbono-13. Graças a este apoio e a apoios adicionais do CNPq, da CAPES e BID, foram adquiridos e instalados dois espectrômetros de rmn (100 MHz (1H)/25,2MHz, (13C) e 60MHz (1H)) que entraram em operação em abril e outubro de 1973. Em dezembro de 1973, um espectrômetro de massas de dupla focalização foi instalado propiciando determinações de massas com alta resolução. Em 1974, mais um espectrômetro de massas iniciou sua operação e o primeiro passou a operar também com ionização por FD/FI, sendo o primeiro espectrômetro no Brasil a produzir espectros de massas de substâncias polares. Além da aquisição e instalação dos novos instrumentos, toda uma infra-estrutura de eletricidade, condicionamento de ar e água de arrefecimento foi montada, o que tem possibilitado o funcionamento da estrutura de modo quase ininterrupto. Em 1990, um novo espectrômetro de massas de alta resolução foi adquirido cuja configuração (EBEQQ) permitiu os primeiros experimentos de LC/MS, MS/MS e FAB no Brasil. Este instrumento funcionou de 1990 até 1998 quando, diante das dificuldades de captação de recursos para a sua manutenção, deixou de operar. Durante mais de vinte e cinco anos a Central Analítica do IPPN prestou apoio analíticos a grupos de pesquisa situados 30 universidades e institutos de pesquisa em todo o Brasil.

A concepção de centralização do instrumental analítico é oriunda do IPPN e se difundiu através da criação das várias outras "centrais analíticas" existentes no Brasil. Esta concepção tem vantagens como: economia nos recursos de manutenção, pessoal treinado operando na supervisão dos procedimentos, compartilhamento dos (caros) recursos analíticos por vários grupos, possibilidade de uso do tempo ocioso em prestação de serviços gerando recursos para a Instituição.

A equipe da CA/IPPN é experiente na operação dos seus equipamentos, e dá suporte à realização dos trabalhos experimentais de pesquisas e das teses em desenvolvimento no IPPN. Sua estrutura física compreende os laboratórios de: Espectrometria de Massas, Cromatografia Instrumental (CLAE e CG), Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear, Espectroscopia Ótica (UV-VIS, IV e Polarimetria) e Cromatografia Contra-Corrente (CCC) e sob Média Pressão.

Com a aprovação recente de vários projetos o acervo instrumental da Central Analítica conta com novos equipamentos analíticos de grande e médio porte (LC-RMN 500MHz, RMN 400MHz, GC, GC-MS, Espectrofotômetro no Infravermelho, Cromatógrafo Contra-Corrente analítico e preparativo) que representam um importante salto na qualidade do suporte às pesquisas desenvolvidas no IPPN. Novas linhas de pesquisa vêm sendo implantadas no Programa de Pós-Graduação em Química de Produtos Naturais do IPPN, assistidas por essas técnicas analíticas modernas.


  • CNPQ
  • FAPERJ
  • CAPES
Universidade Federal do Rio de Janeiro
IPPN, CCS, Bloco H - Ilha do Fundão
Rio de Janeiro, RJ - 21941-902 - Brazil
Tel. 55-21-3938-6512/6513/6791/6792/6794/6795
Lista de ramais, clique aqui
informa nppn.ufrj.br

Desenvolvido por: Cúpula Informática